John Parker- The space between points

Sobre o artista

St Celfer (John Parker) é um artista multimídia atuante nos Estados Unidos. Bacharel em História pela Universidade de Princeton, com Mestrado em Pintura pela Universidade Estadual da Pensilvânia. O artista interessou-se pela arte suprematista de Maliévitch que o impulsionou a uma prática de ateliê bastante ativa. Estudou seus contemporâneos e viu que a arte russa sedimentava a arte do século XX.

A busca por um mundo mais espiritual e metafísico, incluindo a existência de outras dimensões, envolveu a pesquisa de John Parker que passou a se interessar por outros artistas da época,- Michael Vasilyevich Matyushin, pintor e compositor, um dos líderes do grupo dos futuristas russos, junto com sua esposa, Elena Guro. Essas motivações, junto às artes gráficas construtivas, inclusive a brasileira, ao pensamento do matemático Poincaré e à geometria não-euclidiana, como afirma John Parker, tecem suas pesquisas atuais.

Das pesquisas motivadas pela arte russa, John Parker agora pensa sobre as a soma dos pontos vividos e ligados à uma pré-história do visível, que se fazem e desfazem num movimento espiralado de percepções e dimensões. “Os artistas sempre foram cavaleiros, profestas e poetas do espaço de todas as eras”, – declaração de Matyushin que sugere que, depois de um longo hiato, “a quarta dimensão”pode estar em uma nova fase de irrupção no estado da criação.

Ao falar do seu trabalho, o artista diz, – “Ali me desmaterializo na parede dura com marcas. Crio um portal de acesso a dimensões sônicas para além da terceira dimensão, dirigindo essas fontes sonoras para os cantos do espaço, procurando reflexões de um tesseracto aural.”

“(…) O show combate a tirania do espaço por quebrar quadros impostos pelo poder, com o seu falso senso de ordem. Irá expor que progresso pode não ser o que nós pensamos que seria.” 

John Parker 1 está apresentando na Casagaleria e Oficina de Arte Loly Demercian, a instalação The space between points, uma composição sonora com sub-trilhas; um componente de desenho performativo (marca semi- ritualística inspirada na noção de “quebrar o espaço” da artista Lygia Clark) completa a obra.


1 John Parker também estará em cartaz na exposição Memorial do Desenho. Museu de ArteContemporânea da USP, Av. Pedro Álvares Cabral, 1301, a partir do dia 29/06.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.